quarta-feira, julho 13

História dos Espantalhos



Olá sou  o espantalho Anastácio,  um espantalho simpático
e muito feliz, vou contar a história 
da minha origem:

 Algumas lendas nos remetem há  muito tempo atrás,
quando ainda existiam bruxas, mas ao certo
ninguém sabe como surgimos  realmente.

"Uma dessas lendas conta que 
um grupo de amigos que jogava RPG, capturaram um andarilho,
fizeram um ritual satânico que fez com que a alma do andarilho queimasse e se diluísse, até que 
ele virasse uma aberração sem alma nem cérebro em um estado vegetativo eterno. Então, eles devoraram a carne dele e usaram seus ossos como chapéu e com a pele fizeram um boneco.

O boneco foi colocado num milharal, nas redondezas da cidade, com a intenção de espantar os andarilhos que tentassem invadir a cidade; com o ritual o espantalho ficou macabro  e devorava as almas de quem ficasse olhando para ele. Mas o espantalho ficou tão feio que todos  paravam para olhá-lo e assim toda a cidade teve a alma arrancada e devorada não restando ninguém.

Mas então certo dia um caipira de um vilarejo vizinho, encontrou o espantalho, ficou  admirado como não encontrava ninguém naquela cidade. Ele ficou encarando o espantalho, por horas, mas este não conseguiu arrancar sua alma, pois o caipira havia vendido sua alma num jogo de cartas.

O caipira achou uma boa ideia, levar o espantalho para sua plantação, para espantar os corvos.
Os vizinhos ( que também haviam perdido suas almas) acharam a ideia  muito boa e começaram a fazer seus próprios espantalhos.
Desde então, passaram a ser confeccionados em todos os cantos do mundo,
e assim os espantalhos continuam roubando as almas dos desavisados, que ficam encarrando-os."


Histórias à parte somos muito simpáticos, ajudamos na lida do campo.
Somos mais populares na América do Norte, no Brasil também tem propriedades
que nos usam para ajudar a espantar, principalmente os pássaros.

Hoje existem até concursos  e exposições para eleger o espantalho  mais bonito.
E também histórias   infantis, como para todos os gêneros, 
onde somos muito bonzinhos.



Como eu sou um espantalho muito bonzinho ganhei até uma amiga,
pra me fazer companhia.